Sair de seu emprego

O emprego é de importância vital para nós, membros da sociedade moderna. Afinal, passamos oito horas (em média) nele todos os dias e lá conhecemos pessoas, produzimos para a sociedade e garantimos nossa sobrevivência. Justamente por ser um ambiente carregado de significado, deixar um emprego é algo que deve ser planejado e feito com muito cuidado. Tanto por motivos pessoais – afinal, uma saída ruim pode arruinar a relação com os colegas ou, até mesmo, com os amigos oriundos do local de trabalho – quanto por motivos profissionais – algumas empresas realizam uma checagem de referências durante a seleção de novos funcionários e uma saída ruim pode ser um ponto contra você no próximo processo seletivo do qual participar.

Por todas essas razões, há administradores e consultores que defendem que o ato de deixar um emprego é tão importante para o desenvolvimento da carreira de um profissional quanto o ato de conseguir um emprego. Porém, esse artigo não é feito para comparar ou para classificar a saída e a entrada em um emprego e sim para fornecer dicas práticas para aqueles que pretendem deixar seus empregos e de como fazê-lo de modo a não deixar qualquer tipo de rancor ou má impressão.

Certeza. A primeira coisa é analisar sua própria vontade. Pode parecer estranho, porém muitas vezes não sabemos o que realmente queremos ou desejamos uma coisa e acreditamos desejar outra. Tal fato acontece ainda com mais força quando tomamos decisões tendo nossa razão nublada por fortes emoções. Por isso, examine bem o seu interior, pense com calma, com cautela e com paciência a respeito de seu interesse pelo emprego atual. Você realmente não tem mais interesse pelo seu emprego? Essa é uma sensação duradoura e recorrente ou apenas uma sensação esporádica? Você tem certeza que tal decisão não foi tomada durante um momento de grande tensão pessoal ou profissional?

Emprego x Profissão. Agora que você se acalmou, refletiu e está seguro de que a decisão de deixar o emprego atual não é uma decisão emocional ou baseada em fatores momentâneos (seu descontentamento é algo constante ou bastante recorrente), chega o momento de analisar a exata fonte de seu descontentamento. Seu descontentamento está ligado a sua posição na empresa atual ou à sua profissão em si? Você possui interesse em fazer as mesmas atividades para outra empresa? Muitas profissões possuem diversas áreas de atuação, você manifestaria um interesse maior por atuar em outra área dentro de sua profissão? Que área? Embora esteja longe de ser impossível, uma mudança de carreira é algo muito mais demorado, complexo e difícil de reverter do que uma mudança de emprego. Sendo assim, exige muito mais cuidado e planejamento.

Planeje. Mesmo que você já tenha outro emprego em vista, a transição de uma empresa para a outra pode ser mais demorada e complicada do que você imagina. Por isso, é necessário levar em conta que você poderá ficar alguns meses sem trabalhar. Por isso, prepare-se psicológica e financeiramente para essa quebra de rotina. Adie seu desligamento da empresa atual, até que tenha a segurança suficiente para passar alguns meses em busca de um novo emprego.

Sair de um emprego também significa candidatar-se para novas vagas. Por isso, prepare-se, antes de desligar-se da empresa atual. Atualize seu currículo, pesquise o mercado, recupere o seus contatos (mas ainda não os avise que está procurando um novo emprego, isso pode causar uma má impressão).

Deixe a porta aberta. Como dito anteriormente, você pode precisar de referências para um novo emprego. Mais do que isso, você pode querer voltar (depois de um tempo). Portanto, não abandone sua empresa durante a realização de uma tarefa importante que lhe foi atribuída e não deixe nada pendente com seus superiores. Seja honesto, converse com seu gerente e comunique para que ele possa procurar um substituto. Aproveite esse mesmo tempo para deixar a casa em ordem.

Nesse momento é preciso ter cuidado. Como dito acima, o universo do trabalho é cheio de significados para todos que nele atuam, logo, é possível que a comunicação de sua decisão provoque reações fortes em seus superiores, seus colegas ou até mesmo em você. Seja assertivo, porém paciente e educado. Coloque sua decisão nos termos mais profissionais e racionais possíveis. Tenha sempre em mente que você deseja sair deixando uma boa impressão (e, se possível, a porta aberta).

Por fim, uma última palavra de aviso: jamais se mantenha um emprego do qual não gosta. Isso não é saudável nem para você, nem para a empresa. Se uma determinada atividade ou função está lhe causando desinteresse e uma sensação de mal estar constantes (ou com grande recorrência), se sua vida profissional está lhe trazendo mais benefícios que malefícios, se o simples pensar em ir ao trabalho é uma tortura, comece a repensar e a planejar a sua saída imediatamente. Seja honesto e sincero com seus superiores a respeito de sua situação e veja o que pode ser feito para acelerar o máximo possível esse processo. Afinal, o trabalho é um caminho para a realização pessoal e, quando não se está no caminho certo, se deve tomar uma nova estrada. Boa sorte!

Mais artigos
© Copyright 2012 Link Empregos - Todos os direitos reservados